SARAMPO

Vá de vacina contra o sarampo.

SARAMPO

Como é a doença?

É grave, contagiosa e pode ser transmitida por meio do contato direto com a secreção da pessoa infectada ou pelo ar.

Quais são os sintomas?

Febre alta, dor de cabeça, tosse, coriza, manchas avermelhadas na pele e manchas brancas na boca são alguns deles.

 

Prefeitura convoca a cidade de São Paulo para enfrentar o sarampo.

A prefeitura de São Paulo quer mobilizar a população e organizações da cidade para a campanha de vacinação contra o sarampo. Segundo as autoridades de saúde a capital paulista precisa vacinar todas as pessoas com idade entre 15 e 29 anos para barrar com eficiência o avanço da doença, uma população estimada em 2,9 milhões. Para imunizar esta multidão de jovens, não basta o empenho dos profissionais de Saúde. Toda a sociedade precisa se mobilizar contra a doença, que pode ter serias complicações respiratórias e neurológicas e ate mesmo levar a morte.

A vacina é segura e eficaz contra a doença.

O avanço da doença é um fenômeno global. A Organização Mundial de Saúde identificou surtos de sarampo em 170 países desde 2017. Este ano, o numero de casos da doença cresceu, no mundo todo, registrando um aumento de 300% na comparação com 2018. A cidade de Nova Iorque chegou a entrar em alerta por causa da doença.

Em 2018, na campanha nacional de vacinação especifica para crianças de 1 a 4 anos, a cidade de São Paulo ultrapassou a meta de vacinação de 95% garantindo uma forte barreira contra o sarampo com 567.824 doses aplicadas. Em 2019, um numero maior do que a totalidade das crianças nascidas no município tomaram a dose indicada com 1 ano de idade.

Os primeiros casos na cidade de São Paulo surgiram a partir de fevereiro, importados da Noruega, Malta e Israel, Desde então a COVISA já fez 1.185 ações de bloqueio vacinal com aplicação de 48.655 doses de vacina em ações seletivas, nos locais por onde as pessoas com suspeita de sarampo circularam.

Leia também:

ÁGUA – BEM PRECIOSO

Cidades Sustentáveis

SARAMPO

Hoje a cidade tem 363 casos confirmados.

Uma pessoa com sarampo pode contaminar outras 18, o que exige uma investigação minuciosa de cada suspeito para mapear seus movimentos ate seis dias antes do aparecimento dos sintomas. Por isso, os bloqueios do vírus, com vacinação porta a porta, ocorrem na vizinhança da residência, locais de trabalho, estudo e espaços onde o paciente transitou no período de transmissão da doença.

A prefeitura quer que as pessoas e organizações da cidade se envolvam mais diretamente no enfrentamento ao sarampo. Participar não é apenas ter a idade certa e se vacinar, as pessoas precisam alertar amigos e parentes sobre o problema para que se convençam a tomar a vacina.

As empresas e organizações podem ter uma participação muito relevante ao estimular funcionários e colaboradores. Podem, também, abrir as porta para a campanha de vacinação. Levar a campanha para dentro das escolas e universidades também vai aproximar as pessoas da proteção que precisam

A Secretaria Municipal de Saúde promoveu a capacitação de 900 profissionais no manejo clinico especifico do sarampo que abrange desde a identificação dos sintomas, orientações para o diagnostico e tratamento da doença. Estes profissionais voltaram para suas unidades e agem como multiplicadores destas praticas e ações.

No ultimo dia 10 de julho a vacinação passou a ser indicada para todas as pessoas de 15 a 29 anos, independente de já terem sido vacinadas.

Onde se vacinar?

SARAMPO

Desde quarta-feira (17), doses da vacina têm sido disponibilizadas em postos volantes instalados em estações do Metrô, CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo), ViaQuatro e ViaMobilidade. A programação é divulgada semanalmente pelas secretarias e pode ser consultada aqui.

Ou no site: http://www.portaldenoticias.saude.sp.gov.br/calendario-postos-de-vacinacao-contra-o-sarampo-nas-estacoes-de-metro-cptm-emtu-e-estradas/

A campanha deve se estender ate 16 de agosto

 

VÁ DE VACINA CONTRA O SARAMPO.

Deixe seu comentário