Por que todos, pais, governo, escolas e sociedade tem que estar envolvido na causa Obesidade Infantil

Por que todos, pais, governo, escolas e sociedade tem que estar envolvido na causa Obesidade Infantil

 

OBESIDADE INFANTIL

Obesidade é o acumulo de gordura no corpo causado quase sempre por um consumo excessivo de calorias na alimentação superior ao valor usado pelo organismo para sua manutenção e realização das atividades do dia a dia. Ou seja: a obesidade acontece quando a ingestão alimentar é maior que o gasto energético do corpo.
A determinação do sobrepeso e da obesidade é multifatorial e social. Esta relacionada à má alimentação, aos modos de comer e de viver da atualidade e também, preponderantemente, ao sistema alimentar vigente no País, ou seja, o conjunto de fatores que constitui o modo de vida das populações modernas, que consomem cada vez mais produtos processados e ultraprocessados, fabricados pela industria com a adição de substancias como gordura e açúcar a alimentos para torna-los duráveis,mais palatáveis e supostamente mais atraentes.Estas substancias normalmente são derivadas de alimentos,como óleos,farinhas,amidos e açucares.
É fundamental articulação de todos os atores na prevenção e controle da obesidade infantil, englobando ações de educação e formação de hábitos de vida saudáveis, promoção de ambientes saudáveis, proteção contra estratégias que dificultem ou confundam as crianças para adoção de alimentação saudável, garantia do acesso e disponibilidade de alimentos saudáveis, garantia de um cuidado em saúde integral.

 

Há outros motivos que levam à obesidade alem da alimentação inadequada?

A obesidade é multifatorial. Ainda que o ganho excessivo de peso esteja relacionado diretamente ao consumo alimentar e a pouca pratica de atividades físicas, diversos fatores impactam fortemente nesses resultados. Nesse sentido, é patente que as causas da obesidade não são apenas individuais, mas também ambientais e sociais, sobre as quais o individuo, em muitas ocasiões, tem pouca capacidade de interferência. Grande exposição das crianças à publicidade de alimentos não saudáveis, comercialização de alimentos não saudáveis em escolas, baixo acesso e disponibilidade a alimentos saudáveis,dificuldade de acesso a informações confiáveis sobre alimentação saudável,rotulagem nutricional pouco clara,baixo preço de alimentos não saudáveis e estrutura insuficiente ou inadequada para pratica de atividade física são exemplos de motivos que contribuem para a obesidade

 

Quando esta obesa ou apenas acima do peso?

A Caderneta de Saúde da Criança apresenta uma tabela no qual indica o IMC – Índice de Massa Corporal, da criança a partir do peso e altura. Este valor é plotado na curva, em relação à idade, e assim permite a avaliação do estado nutricional da criança.
O referencial para classificar o estado nutricional de crianças menores de 5 anos são as curvas de crescimento infantil propostas pela Organização Mundial da Saúde em 2006,e para as crianças de 5 a 10 anos incompletos a referencia da Organização Mundial da Saúde lançada em 2007.

 

O que a obesidade interfere na vida da criança?

Crianças com obesidade aos 2 anos tem 75% de chance de ser obeso na vida adulta. O desenvolvimento de obesidade infantil esta relacionado com o desenvolvimento de diversas doenças a curto e longo prazo, como diabetes, resistência a insulina, hipertensão,dislipidemias,distúrbios psicológicos,complicações gastrointestinais,doenças cardiovasculares.

Qual o primeiro passo para ajudar?

É fundamental que haja acompanhamento profissional para a realização do diagnostico de sobrepeso ou obesidade nas crianças e orientação quanto ao tratamento mais adequado. Os pais e cuidadores devem estar sensibilizados para o problema, no entanto, é imprescindível que não haja culpabilização nem da criança e nem dos pais nesse momento. Devem-se buscar estratégias efetivas e sustentáveis no âmbito individual, familiar, escolar, comunitário e nos demais espaços em que a criança esta inserida, de forma que a adoção de hábitos de vida mais saudáveis seja facilitado e promovido.

 

 

 

FONTE: Blog da Saúde  –  Ministério da Saúde- Luiza Tiné

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo