Tarifa Branca de Energia

Tarifa Branca de Energia

Tarifa Branca de Energia

Em vigor desde o dia 1º de janeiro, a tarifa branca pode representar uma economia na conta de luz para os consumidores disciplinados e atentos aos horários e dias em que a energia custa mais barato.

A Agencia Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) alerta que a conta poderá ficar mais cara para aqueles que aderirem à nova tarifa, porem continuarem a usar chuveiro elétrico, ar-condicionado, ferro de passar e maquina de lavar roupa nos horários de pico – quando hà mais consumo de energia e custo maior.

A tarifa branca é uma modalidade em que os valores cobrados variam em função da hora e do dia da semana em que a energia foi consumida. Nos horários de pico, a energia é mais cara. Nos horários de baixo consumo, é mais barata.

De acordo com a ANEEL, não há uma formula nacional de horários e dias em que a energia custa mais barato. Cabe a cada uma das 69 concessionárias de energia elétrica definir os valores a serem cobrados dos clientes que aderirem à tarifa branca.

A tarifa branca entrou em vigor para unidades que tenham uma media de consumo mensal entre 250 kWh e 500 kWh. A ANEEL informa que 15,9milhões de unidades consumidoras tem esse perfil o que corresponde a 19,1% do total. A media do cosumo residencial brasileiro é de 160 kWh por mês.

Os dados sobre consumo podem ser verificados na conta de luz.

#Para media de consumo mensal superior a 500 kWh já estava valendo

Leia também:

CONSUMO CONSCIENTE – ENERGIA ELÉTRICA

CRESCEU A GERAÇÃO DE ENERGIA EÓLICA

 

Tarifa Branca de Energia

 

Como Aderir?

Para aderir à tarifa branca, é necessário comunicar à concessionária local, que terá prazo de 30 dias para instalar, gratuitamente, o aparelho que mede o consumo nas diferentes faixas de horário.

Como a tarifa branca vai funcionar?

Até 2018, não fazia diferença na conta de luz se você usasse mais energia na parte da manhã ou da noite, na segunda ou no sábado. O preço era sempre o mesmo. Contudo com a tarifa branca, o valor varia dependendo do horário e do dia da semana.

Nos dias úteis, há três faixas de consumo, que mudam de acordo com a região: horário de pico, intermediário e fora do pico.

Em São Paulo, por exemplo:

  • pico é das 17h30 às 20h30
  • intermediário das 16h30 às 17h30 e das 20h30às 21h30
  • demais horários são considerados fora do pico.

Aos finais de semana e feriados nacionais, é horário fora de pico.

As concessionárias devem informar aos consumidores quais são as suas faixas de consumo

Será que vale a pena?

A resposta vai depender dos hábitos de consumo de cada consumidor. Se uma família utiliza mais energia no período da manhã e da tarde, por exemplo, a tarifa branca pode ser uma boa alternativa, pois não coincide com o horário de pico da região.

Algumas concessionárias disponibilizam em seus sites simuladores para que os consumidores confiram se a tarifa é benéfica. Alem disso, os usuários podem fazer testes para verificar se o sistema vale a pena.

O consumidor deve levar em conta também se ,em casa tem muitos aparelhos ligados 24 horas por dia-caso de geladeiras,freezers ou equipamento de segurança eletrônico,por exemplo.Cuidado especial com aparelhos de ar-condicionado e chuveiro elétrico.

Vale ressaltar que a conta pode subir bastante, se o consumo não for gerenciado.

Tarifa Branca de Energia

Duvidas: http://www.aneel.gov.br

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar